Translate

terça-feira, 31 de julho de 2012

Bota pede tempo e prepara máquinas de iluminação para usar no Engenhão

Bota pede tempo e prepara máquinas de iluminação para usar no Engenhão


Equipamento adquirido na Holanda deve começar a ser utilizado em meados de agosto. Estádio já recebeu 57 jogos e gramado está esburacado

Depois de receber cinco jogos em oito dias na última semana, o gramado do Engenhão pediu socorro e o Botafogo, mais uma vez, enviou um ofício para a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) pedindo a interdição por duas semanas para recuperar o principal palco do futebol carioca. Este ano, já foram 57 jogos, com a previsão de um mínimo de 41 a mais a serem disputados no estádio.

Recentemente, o Botafogo recebeu máquinas de iluminação artificial para compensar a falta de luz naturalsobre alguns setores do gramado. No entanto, o equipamento ainda não está pronto para utilização. Técnicos holandeses devem desembarcar em breve no Rio para fazer a montagem e a primeira sessão, que tem previsão para acontecer em meados de agosto.

- Importamos o equipamento para melhorar as condições da grama, mas a eficiência dele é medida na folha e não há mais grama em alguns setores. Ele não faria efeito. Tem que parar. Fizemos outras manifestações e não recebemos resposta. O campo está à disposição para quem quiser fotografar e ver a situação. Além de prejudicar o espetáculo, coloca em questão a integridade física dos jogadores. Vamos investir numa recuperação, mas o Botafogo tem que jogar lá, é o campo dele. Enquanto cumprirmos o que existe no acordo de concessão, somos os legítimos donos. Pagamos por isso – explicou Sergio Landau, diretor executivo do Botafogo.

Depois do jogo entre Fluminense e Atlético-MG, o último realizado no Engenhão, domingo, os jogadores saíram de campo reclamando ostensivamente do gramado. Um deles foi Ronaldinho Gaúcho, que defendia o Flamengo até o começo desse ano.

- Não é possível ter essa quantidade de jogos. No ano passado, foram 98 jogos oficiais no estádio. Antes do início do Brasileiro e no começo, nós mandamos uma correspondência para a CBF pedindo que alguns jogos fossem tirados do Engenhão. Os times e os atletas reclamam, mas é impossível manter a qualidade do gramado com essa quantidade de jogos – comentou Landau.

O número de jogos sob chuva chamou a atenção do dirigente. Ele lembrou, por exemplo, o Fla-Flu dos 100 anos, que teve preliminar e banda de música antes do jogo principal. Tudo realizado debaixo de forte chuva, que prejudicou ainda mais o gramado do Engenhão.

- Está muito acima do que aconteceu no ano passado. São vários jogos com muita chuva. No Fla-Flu, em hipótese alguma, iríamos estragar a festa, mas a preliminar e a banda dos fuzileiros prejudicaram ainda mais o gramado – disse Landau.

Já encaminhado para a CBF, o relatório foi assinado pelo agrônomo Artur Melo, responsável pelo gramado. Nas próximas duas semanas, de acordo com o documento, o jogo entre Botafogo e Palmeiras, no dia 8 de agosto, seria o único a ser realizado no estádio. Se o pedido for acatado, a CBF mudará os locais de Flamengo x Atlético-MG, no próximo sábado; Flamengo x Náutico, no dia 11 de agosto; Fluminense x São Paulo, no dia 9 de agosto; e Fluminense x Palmeiras, no dia 12 de agosto.

Se houver alteração de local, os jogos de Flamengo e Fluminense não poderão ser disputados fora do estado do Rio de Janeiro, a não ser que haja autorização da Ferj, que já se manifestou contrária a isso em outras oportunidades. Assim, restariam São Januário, Macaé e Volta Redonda como principais opções.

Fonte: Globo Esporte.com
Postar um comentário