Translate

terça-feira, 31 de julho de 2012

Empresário de Cáceres consegue liminar que obriga APF a liberar atleta

Empresário de Cáceres consegue liminar que obriga APF a liberar atleta


Justiça paraguaia determina que a Associação deFutebol daquele país envie os documentos do volante do Flamengo para a CBF nesta terça-feira

A luta do Flamengo para dar condições de jogo a Victor Cáceres se aproxima do fim e existe a possibilidade de o volante estrear no próximo sábado, contra o Atlético-MG. Nesta segunda-feira, o empresário do dele, Régis Marques, conseguiu na Justiça paraguaia uma liminar que obriga a Associação de Futebol do Paraguai (APF) a enviar até esta terça para a CBF toda a documentação necessária para a inscrição do jogador no Brasil. Régis está em Assunção desde a semana retrasada para resolver o caso. O imbróglio foi criado pelo Libertad, ex-clube de Cáceres, que atrasou a entrega dos documentos por estar insatisfeito com a forma como o atleta deixou a equipe guarani.

- Consegui uma liminar com uma juíza daqui e já entreguei na Associação. Eles são obrigados a enviar a documentação nesta terça-feira. Não vejo outra possibilidade de continuarem impedindo o Cáceres de jogar – disse Régis.

Apresentado no dia 6 de julho, o jogador treina normalmente e está pronto para a estreia. O caso chegou ao limite. Cáceres, o empresário dele, Régis Marques, e o departamento jurídico do Flamengo já haviam ido à Fifa para tentar solucionar o problema. O processo está em curso na entidade máxima do futebol. Inicialmente, ele teria condições de jogo no dia 11 de agosto, contra o Náutico, mas caso a APF cumpra a determinação judicial, ele poderá estrear antes.

O contrato de Cáceres com o Libertad terminou em 30 de junho, e o clube não recebeu um centavo sequer na saída do jogador, revelado na base da equipe guarani. O Flamengo fez uma proposta de quatro anos de contrato e teve a resposta positiva do atleta. Cáceres decidiu repassar quase 800 mil dólares (ou R$ 1,6 milhão) ao Libertad para que fosse liberado antes do término do vínculo. O Libertad não aceitou, decidiu segurá-lo e acusou o volante e seu representante de terem negociado diretamente com o Flamengo. A partir daí, virou guerra.

Fonte: Globo Esporte.com
Postar um comentário