Translate

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Contra o Palmeiras, Zinho volta ao passado

Diretor do Flamengo reencontra clube pelo qual viveu auge como jogador e companheiro de títulos que também é dirigente

Dorival Júnior e Zinho tiveram passagem pelo Palmeiras na década de 90 (Foto: Bruno de Lima)


Eduardo Mendes
Pedro Leanza
Publicada em 15/08/2012 às 08:02
Rio de Janeiro (RJ)

Oficialmente, o reencontro com o Palmeiras está marcado para esta quarta-feira, na Arena Barueri, mas Zinho resolveu antecipar o contato com os antigos companheiros e fez uma prévia do jogo no sábado, no Rio de Janeiro.

Na seleta lista de ídolos do Verdão, o dirigente do Flamengo aproveitou a estadia da delegação paulista no fim de semana no Rio, onde o time enfrentou o Fluminense, para fazer uma visita de cortesia.



No hotel, Zinho reencontrou Galeano e César Sampaio. Entre muitas conquistas pelo Palmeiras na década de 90, o trio sagrou-se campeão da Libertadores de 1999.

– Fazia um tempo que não via alguns, como o Galeano. E também demos um abraço no Felipão e no Murtosa. Acabou que falamos dos jogos que teríamos no fim de semana, mas lembramos que na quarta-feira estaríamos de lados diferentes, como adversários – contou.

Pela primeira vez na condição de dirigente, Zinho enfrentará o clube pelo qual levantou oito troféus. Do outro lado, César Sampaio viverá uma situação semelhante. Afinal, ele também é diretor de futebol do Palmeiras e teve uma carreira vitoriosa dentro das quatro linhas. A dupla, inclusive, chegou a formar parceria longe do Palmeiras.

– Como o futebol proporciona momentos como este, não é? Já fomos campeões juntos, vizinhos e jogadores do mesmo time no Japão, estivemos na Seleção e, agora, nos tornamos dirigentes. Falamos sobre isso por telefone nos últimos dias. Vai ter aquela ansiedade de como será a reação da torcida, mas agora sem precisar entrar em campo – comentou.

Dorival tem histórico de família no Palmeiras

O duelo na Arena Barueri não terá aspecto de nostalgia apenas para Zinho. O técnico Dorival Júnior também tem o passado ligado ao clube paulista.

Apesar de não ter marcado época como aconteceu com o dirigente rubro-negro, Dorival defendeu o Verdão por três anos e conquistou quatro troféus. O tempo no clube foi suficiente para que ele despertasse o interesse do Grêmio, clube para o qual se transferiu em 1993.
A saída do Palmeiras naquela temporada interrompeu o segundo ciclo que a família poderia fazer no Palestra. Isso porque, Dorival Júnior é sobrinho de Olegário Tolói de Oliveira.

O volante, que era conhecido como Dudu, foi um dos grandes nomes do time do Palmeiras nos anos 60 e 70 e está na lista de jogadores importantes da História do clube paulista. Na época, ele conquistou cinco Brasileirões, três Campeonatos Paulistas e um Torneio Rio-São Paulo.
Com a palavra

COM A PALAVRA

Clebão
Jogou com Zinho no Palmeiras

Zinho era um líder dentro de campo

Certamente o Zinho continuaria no meio futebolístico após encerrar sua carreira nos gramados, sendo dirigente ou, até mesmo, técnico.
Ele sempre exerceu muita liderança quando jogava, dentro ou fora de campo. Tanto na primeira passagem, quando fomos bicampeões do Brasileiro e do Paulista, quanto na segunda, quando conquistamos a Copa do Brasil, Libertadores e Mercosul, o Zinho era a figura do treinador dentro de campo, nos orientando. Ele costumava representar o elenco em conversas com o Felipão e Vanderlei (treinadores na época) e, até mesmo, em papos com a diretoria. Sempre foi muito inteligente, se comunicando bem com todos dentro do clube. A importância dele para o Palmeiras é enorme. Acredito que não há uma passagem mais importante do Zinho pelo Palestra. As duas primeiras, nas quais estive presente, foram muito vitoriosas. Afinal, ganhou oito títulos.



Zinho no Flamengo

Início no Fla
Revelado em 1986 pelo clube da Gávea, Zinho conquistou seu primeiro título profissional no mesmo ano: o Campeonato Carioca.

Consolidação
Já em 1987, ao lado de Zico, o meia conquistou a Copa União. Com espaço firmado dentro do elenco, o jogador também foi muito importante nos títulos da Copa do Brasil, em 1991, e no Brasileirão de 1992.

O retorno
Em 2004, o já consagrado jogador retornava ao clube que o revelou. Com 36 anos de idade, Zinho se tornou campeão carioca naquela temporada, conquistando o terceiro título estadual pelo Rubro-Negro. Crizam Filho se despediu do Fla em 2005.

Números
Somadas as duas passagens pelo Fla, em oito anos, Zinho jogou 466 partidas e conquistou seis títulos.

Zinho no Palmeiras

Início no Palestra
Contratado pelo clube no segundo semestre de 1992, Zinho conquistou suas primeiras competições pelo Verdão logo no ano seguinte: o Paulista e o Brasileiro.

Consolidação
Em 1994, um dos destaques da excelente equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo, o jogador se sagrou bicampeão Paulista e Brasileiro, se tornando, de vez, ídolo da torcida.

O retorno
Após duas temporadas no Japão, Zinho retornou em 1997. O meia integrou o time campeão da Mercosul e Copa do Brasil, em 1998, além da tão comemorada Libertadores, no ano posterior. Na terceira passagem pelo Verdão, de 2002 a 2003, o carioca acabou não brilhando.

Números
Nas três passagens somadas, Zinho acumula oito títulos.
fonte lancenet



siga-nos pelo twitter @urubucarniceiro e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário