Translate

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Flamengo admite que pode oferecer novamente estrutura para Adriano se recuperar


Imperador pode herdar camisa 10 que foi usada por Ronaldinho na passagem do atacante entre os anos de 2011 e 2012


Clube quer contar com o Imperador e promete motivar o atacante no retorno (Foto: Cleber Mendes)


Eduardo Mendes
Roberto Murad
Publicada em 14/08/2012 às 07:03
Rio de Janeiro (RJ)

O atacante Adriano está na mira da diretoria do Flamengo. Depois de um longo tempo se recuperando da cirurgia no tendão-de-aquiles do pé esquerdo, o Imperador vai ter uma conversa com o diretor de futebol, Zinho, para decidir o futuro. A ideia partiu do próprio dirigente, que pretende oferecer novamente as dependências do clube para que Adriano volte a ficar sob os cuidados dos médicos e preparadores físicos da comissão técnica rubro-negra.

– Ele saiu do protocolo, não está mais sob tratamento do Flamengo. Quero ter uma conversa para motivá-lo, ter ele por perto. Minha ideia é ajudar o Adriano – explicou o diretor de futebol do Fla.



O dirigente pretende pedir ao chefe do departamento médico do Flamengo, José Luiz Runco, para elaborar um relatório do que Adriano já evoluiu até o momento, já que ele passou a fazer parte da recuperação sem ajuda dos profissionais rubro-negros disponibilizados.

– A parte clínica, que será feita pelo Runco, não vai acontecer agora. O Runco está na Suécia (viajando com a Seleção Brasileira para um amistoso) – disse o dirigente.

Adriano deixou de fazer o tratamento no Flamengo aconselhado pelo staff do jogador. As pessoas próximas ao atacante entendiam que havia uma cobrança excessiva por parte da imprensa sobre o cumprimento dos horários em que o jogador deveria comparecer ao Ninho. As notícias sobre as faltas de Adriano no Ninho incomodavam o atacante.

Na semana em que tomou a decisão, o jogador não compareceu ao centro de treinamentos durante quatro dias e não comunicou ao clube o motivo das ausências.

Caso acerte com o Flamengo, Adriano deve ser o camisa 10 que a diretoria não conseguiu contratar na janela de transferências. Desde a saída de Ronaldinho, o clube tentou, sem sucesso, Diego, do Wolfsburg (ALE) e Riquelme, do Boca Juniors. A ideia era que um desses jogadores herdasse a camisa que foi usada pelo hoje atacante do Atlético-MG.

O HISTÓRICO DA LESÃO

A primeira cirurgia
Em abril do ano passado, Adriano foi submetido a uma cirurgia no tendão-de-aquiles do pé esquerdo quando ainda era jogador do Corinthians. O retorno aconteceu somente em outubro. Desde esse período até a demissão, em março, o Imperador disputou apenas oito partidas.

A segunda cirurgia
Demitido pelo Corinthians, Adriano foi examinado pelo médico do Flamengo, José Luiz Runco, e ficou constatado que ele precisaria refazer a operação. A nova cirurgia aconteceu no início de abril deste ano e a previsão inicial estipulada pelos médicos é de que ele levaria seis meses para retornar. Ainda faltam mais dois meses.

RECUPERAÇÃO DE ADRIANO É LENTA

Os problemas extracampo de Adriano que interferiram no processo de reabilitação da cirurgia no tendão-de-aquiles esquerdo, em 2011, são evidentes quando o caso do Imperador é comparado ao de Tenório, do Vasco. Ele sofreu uma lesão no mesmo local em março deste ano, durante a Taça Rio.

No próximo dia 19, o Imperador completará um ano e quatro meses da primeira cirurgia realizada no tendão-de-aquiles, quando ainda era jogador do Corinthians. O retorno aconteceu somente em outubro, seis meses após a operação, superando o prazo de cinco meses estipulado pelos médicos do clube paulista.

O jogador do Vasco, por sua vez, precisou de apenas cinco meses para reestrear pelo Cruz-Maltino, fato que aconteceu no início de agosto. O equatoriano foi muito elogiado pelos médicos do Vasco por ter tido disciplina no período de reabilitação.
Adriano, desde a cirurgia em abril de 2011, conseguiu, depois de outubro, fazer apenas oito jogos pelo Timão até ser demitido.

No início de abril deste ano, ele passou novamente por uma intervenção cirúrgica no local para reparação da primeira operação. A expectativa é de que em até seis meses o Imperador pudesse retornar aos gramados. Se o prazo for cumprido, ele ainda precisará de dois meses para voltar.
fonte lancenetsiga-nos pelo twitter@urubucarniceiro e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário