Translate

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Talento de sobra, força de menos: Fla luta para encorpar Gabriel




Falta de trabalho nas divisões de base dificulta preparação do meia
Demora para ganhar massa muscular faz com que Gabriel sinta dores após trabalhos intensos



CARLOS EDUARDO MANSUR



Gabriel treina no CT enquanto faz trabalho para ganhar força muscular Cezar Loureiro / Agência O Globo


RIO - Assim que recebeu Gabriel, que veio do Bahia, no início do ano, o Flamengo percebeu ter em mãos uma possível solução e um problema. Ao mesmo tempo em que chama atenção pelo talento, o meia preocupa pela dificuldade de encorpar. O clube entende que Gabriel precisa de cinco a seis quilos de massa muscular, mas sente problemas decorrentes de desgaste excessivo sempre que o trabalho é intensificado. Para a comissão técnica, a dificuldade está ligada à origem de um jogador que não teve passagem por divisões de base.

Gabriel é uma espécie de talento intuitivo. Descoberto em uma “peneira”, ou “baba”, como se diz em Salvador, chegou ao clube baiano com 20 anos. Ficou apenas alguns meses nos juniores do Bahia, até ser incorporado aos profissionais. Como começou a ter treinamentos e preparação física sistemáticos, não criou o chamado “lastro físico” da maioria dos atletas.

Ao chegar ao Flamengo, logo nos primeiros testes, a comissão técnica constatou um déficit de massa considerável. E traçou um programa. Na semana passada, houve uma breve interrupção, já que o jogador sentiu dores e foi submetido a exames para entender o que se passava com o meia. Constantemente, Gabriel faz avaliações físicas para medir os progressos.

- O trabalho tenta, ao mesmo tempo, condicionar o Gabriel para a competição e fazê-lo ganhar mais massa. Ele, praticamente, não passou pela base, não teve esse treinamento no passado. Isso cria uma dificuldade maior, e ele sente mais quando há necessidade de intensificar, de apertar o trabalho - explica Celso de Rezende, preparador físico do Flamengo. Para completar, Gabriel ainda foi submetido a uma cirurgia no nariz no fim do ano passado.

fora do clássico

A ordem é não precipitar a estreia. Uma tarefa que acabou facilitada pelo bom desempenho do time em campo, o que não criou uma urgência para o técnico Dorival Júnior. A princípio, está decidido que ele não enfrentará o Botafogo e só deverá estrear na última rodada da Taça Guanabara.

Mesmo com o time em bom momento, há uma ansiedade por ver Gabriel em campo. O jogador é uma aposta do clube.

- É um jogador veloz, um atacante que tem tudo para se encaixar no nosso time. Mas não quero usá-lo agora e perder lá na frente. Vamos prepará-lo para o ano todo - afirma o técnico Dorival Júnior.

- Ele é uma joia. É impressionante a coordenação deste rapaz para conduzir a bola em velocidade - diz Celso.

Leia mais sobre esse assunto em


Fonte  Link


Siga-nos pelo twitter e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário