Translate

quinta-feira, 7 de março de 2013

Clubes ainda cedem ingressos a organizadas, mas relação começa a mudar




Bahia, Santos, Ponte Preta e Vasco oferecem regalias, enquanto que em outros clubes, como Flamengo e Cruzeiro, novas diretorias mudaram relação com as torcidas


LANCEPRESS! -

Goleiro Fernando Prass foi agredido por integrantes da Mancha Verde (Foto: Caio Carrieri)

Depois do episódio ocorrido nesta quinta-feira no Aeroporto de Buenos Aires, quando integrantes da Mancha Alviverde causaram confusão e acabaram ferindo o goleiro Fernando Prass, o Palmeiras anunciou o rompimento da relação com as organizadas. O clube cedia às torcidas ingressos para os jogos fora de casa, uma relação ainda comum no futebol brasileiro. Mas a situação começa a mudar...


Oficialmente, o discurso da maioria dos cartolas é de que não favorecem as facções por meio de condições especiais de ingressos ou custeio de viagens. Mas ainda há diretorias que não escondem a utilização de tais práticas. Vasco, Bahia, Santos e Ponte Preta fornecem ingressos ou cobram preços especiais para as organizadas.

A Força Jovem Vasco, por exemplo, é uma das torcidas organizadas que ainda recebem auxílio do clube. Oito membros da facção foram presos na última sexta-feira, acusados de envolvimento no homicídio de um torcedor do Flamengo. A torcida voltou às arquibancadas com seus materiais no último sábado, na semifinal da Taça Guanabara, contra o Fluminense.


Fluminense e Criciúma são adeptos do financiamento de algumas viagens, como conta Flávio Martins, o Frajola, presidente da Federação das Torcidas Organizadas do Rio (Ftorj) e da Young Flu.

– Dependendo do jogo, o clube dá uma ajuda nos ônibus. A torcida não tem condições de pagar a passagem. Mas nemcolocamos a mão no dinheiro, para evitar polêmica. Quem fecha o negócio é o Fluminense – contou Frajola, revelando que cada ônibus para o jogo contra o Grêmio, pela Libertadores, custará R$ 8 mil. No entanto, por meio de sua assessoria, o Fluminense informou que não cede ingressos para suas torcidas organizadas, mas um número limitado de cartões magnéticos, com o valor de cada jogo.

                                            (CLIQUE PARA AMPLIAR)



A morte do torcedor boliviano KeVin Espada, de 14 anos, devido a um sinalizador atirado por um membro da Gaviões da Fiel, facção do Corinthians, gerou dúvidas sobre como o artefato chegou à Bolívia e reacendeu a discussão sobre a ajuda dos clubes às facções. A diretoria do Corinthians nega conivência.

– Não existe relação de financiar viagem e dar ingresso. Eles vão onde o Corinthians joga. Somos auditados dentro e fora. Procurem! – disse Roberto de Andrade, diretor de futebol.

Alguns clubes aprenderam na marra a não custear as organizadas. O Coritiba, por exemplo, acabou com as regalias das facções depois da invasão e da pancadaria no Brasileirão-2009. Será que mais clubes vão ter que sofrer na pele para saber os limites do apoio às organizadas?

Programas de sócios enfraquecem facções

As torcidas organizadas perderam força na reivindicação de ingressos gratuitos junto aos clubes e outras regalias à medida em que os programas de sócio-torcedor ficaram mais robustos.Coritiba, Atlético-PR, Internacional e o próprio Fluminense são exemplos. O Coxa e o Furacão trabalham junto às organizadas para que todos os associados das facções sejam sócios, já que precisam entrar no quadro para terem promoções (que também valem para o torcedor comum).

– Aqui no Atlético já não damos ingresso há muito tempo. Os membros da organizada Fanáticos são sócios do clube. E, por meio desse cadastro, também temos como saber quem está indo ao estádio. O máximo que fazemos é a ponte para que tenham acesso à carga de visitante, quando jogamos fora – explicou o diretor de Marketing do Atlético-PR, Mauro Holzmann.

Episódios recentes antes do ocorrido na Argentina

Prisões no Rio
A Polícia Civil do Rio fez uma operação na sexta-feira e cumpriu mandados de prisão contra seis membros da Força Jovem Vasco. Eles são acusados de participar da morte de um torcedor do Flamengo em abril de 2012. Outros dois estão foragidos.

Morte de Kevin
Um sinalizador atirado por um torcedor do Corinthians matou o boliviano Kevin Espada, de 14 anos, do San José, em jogo pela Libertadores. Um menor, de 17, diz ser o culpado, mas 12 membros da Gaviões estão presos na Bolívia.

Suspensão em Goiás
O Ministério Público de Goiás conseguiu junto ao Tribunal de Justiça do estado uma liminar que suspende por tempo indeterminado as três principais torcidas goianas, de Goiás, Vila Nova e Atlético-GO.

Tiro e punição
Três organizadas de Recife foram suspensas depois que o torcedor Lucas Lyra foi baleado na nuca, no último dia 16, em frente ao Estádio dos Aflitos.

O QUE ELES DIZEM


"Geralmente o Bahia faz a reserva de ingressos. Os membros da organizada pagam meia, mas a viagem é por nossa conta"
Cristóvão Contreiras, da Bamor


"Tenho a segurança de que não vão acabar com as torcidas no Rio. Ninguém vai nos trair. A relação é boa"
Flávio 'Frajola', Presidente da Ftorj e Young Flu

"A única ajuda que o São Paulo dá à torcida é disputando títulos e sendo campeão de torneios de expressão"
André Nascimento, Relações públicas da Tricolor Independente

"Temos os contatos, conversamos sobre preços de ingresso, esse tipo de coisa"
Leco, Vice-presidente do São Paulo



Fonte Link



Siga-nos pelo twitter e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário