Translate

terça-feira, 19 de março de 2013

Pelaipe aposta em Jorginho e tenta repetir acertos com Tite e Mano




Diretor de futebol do Fla lembra que deu chance a treinadores promissores no Grêmio, mas cobra vitórias: ‘É o que faz solidificar o trabalho’


Por Cahê Mota e Richard SouzaRio de Janeiro



Pelaipe sorri ao lado de Jorginho (de camiza azul),
Wallim e Ailton (Foto: Richard Souza)

Tite e Mano Menezes foram citados pelo diretor de futebol Paulo Pelaipe após a apresentação de Jorginho como novo técnico do Flamengo. Dois dos treinadores mais importantes do país na atualidade ganharam do dirigente, na época no Grêmio, a primeira chance de treinar um grande clube brasileiro. Depois de se destacarem e vencerem no estádio Olímpico, Tite e Mano se estabeleceram no mercado e construíram carreiras sólidas. O primeiro conquistou nos dois últimos anos o Brasileiro, a Libertadores e o Mundial com o Corinthians, enquanto o segundo chegou à seleção brasileira.

Pelaipe vê em Jorginho, de 48 anos, potencial para alcançar um novo patamar como treinador. O Flamengo é o quinto clube da carreira do técnico, que estreou na função no América, em 2005. Depois, foi auxiliar de Dunga na seleção brasileira entre 2006 e 2010 e passou por Goiás, Figueirense e Kashima Antlers, do Japão.

- Nós começamos a trabalhar com Adenor Bacchi, o Tite, em dezembro de 2000, quando o buscamos no Caxias. Em abril de 2005, fomos buscar o Mano (também no Caxias). Tentamos um outro jovem que não deu certo, não vou dizer nomes por respeito a eles, mas temos de dizer isso. Eu gosto de trabalhar com desafio. O Jorginho está recebendo uma oportunidade na carreira, tem um grande currículo como alteta, é um cidadão exemplar, fez um grande trabalho no Figueirense, um grande trabalho com o Dunga. Tenho ótimas informações do Paixão (Paulo, preparador físico do Inter), do Dunga (técnico do Inter), do Renan Dal Zotto (diretor de marketing do Figueirense) – disse o dirigente.

No Figueirense, Jorginho fez um trabalho que rendeu elogios e foi o que melhor conseguiu até aqui. Ele quase levou o time à Libertadores. No Kashima, conquistou a Copa Liga Japonesa do ano passado, seu único título como treinador.

No Grêmio, duas apostas de Pelaipe não vingaram. Vágner Mancini e Caio Júnior, treinadores com o mesmo perfil de Jorginho, foram contratados, mas passaram pouco tempo no clube. Mancini chegou ao Tricolor gaúcho em 2008 como substituto de Mano Menezes, ficou seis jogos oficiais no comando e foi demitido com a equipe invicta. Caio Júnior durou um pouco mais. Chegou em dezembro de 2011 e saiu em 20 de fevereiro de 2012.

Otimista com a chegada de Jorginho, o diretor de futebol disse que o clube tem a preferênica na renovação com o técnico no fim do contrato, que vai até dezembro de 2014, mas lembrou que a cobrança por vitórias vai existir.

- Acreditamos tanto no trabalho dele que até colocamos essa cláusula de preferência na renovação. Que tenha sucesso, que tenha sorte. Que a gente possa ter vitórias. No futebol, não é só o treinador, o dirigente só fica enquanto tem vitótias. É o que faz solidificar o trabalho.







Fonte Link



Siga-nos pelo twitter e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário