Translate

sexta-feira, 5 de abril de 2013

CNDs conquistadas pelo Flamengo eram tentadas por gestões anteriores




Em apenas três meses à frente do clube, gestão Eduardo Bandeira de Mello consegue regularizar situação fiscal do Rubro-Negro, diferentemente das diretorias anteriores


David Nascimento e Pedro Barboza

Gestão de Eduardo Bandeira de Mello conseguiu as CNDs em três meses (Foto: LANCE! TV)

Gestões anteriores a de Eduardo Bandeira de Mello na presidência do Flamengo encontraram dificuldades para a regularização da situação fiscal do clube, obtida pela nova diretoria em apenas três meses. Diversos empecilhos são relatados pelos ex-dirigentes, que reconhecem a importância da conquista de todas as certidões negativas de débito (CNDs).

– Na época em que presidi o Flamengo, o clube tinha acabado de passar por um impeachment e estava atolado em dívidas. Minha folha de receitas era baixa, bem diferente da atual. Apesar disto, foi um trabalho histórico feito pela nova diretoria, o respeito foi resgatado – afirmou Hélio Ferraz, presidente entre 2002 e 2003.

Para obter as CNDs, a nova diretoria do Flamengo teve de efetuar o pagamento de R$ 40 milhões de impostos atrasados e não parceláveis – o valor restante foi parcelado em até 180 meses. Atual presidente do Conselho Deliberativo e presidente em 2009, Delair Dumbrosck relatou a necessidade de manter pagamento das parcelas para que o clube não volte a ter irregularidades fiscais.

– A conquista de todas as certidões não significa que o Flamengo pagou todas as dívidas. Agora, a diretoria tem que manter o pagamento dos valores parcelados em dia para continuar com a situação fiscal regular, isso é essencial – avisou.

Ex-presidente do Flamengo (1995-1998), Kléber Leite enfatizou não ter tido o problema de veto de patrocínio com empresas estatais, mas reconheceu a importância das CNDs:

– Não tive muito problema durante a minha gestão, tínhamos o patrocínio da Petrobrás, que é empresa estatal. Agora, com as certidões, o Flamengo poderá negociar com as estatais e aumentar a receita do clube.

"ESTRATÉGIA FOI BEM ELABORADA", DIZ VICE JURÍDICO

A gestão Eduardo Bandeira de Mello no Flamengo obteve as seis certidões negativas de débito (CNDs) após gestões irregulares no lado fiscal. Para Flávio Willeman, vice-presidente jurídico, o êxito aconteceu devido à estratégia elaborada pela pasta que comanda e pela equipe financeira:

– A estratégia foi bem elaborada pelos departamentos jurídico e financeiro desta nova gestão do Flamengo. Mapeamos as necessidades para conseguir todas as certidões negativas de débito, negociamos com os representantes municipais, estaduais e federais, recuperando a credibilidade do clube perante a Justiça fiscal.

OS BENEFÍCIOS DAS CNDs PARA O FLAMENGO

Patrocínio
Com a situação fiscal regular, o Flamengo pode negociar patrocínio com empresas estatais, o que a lei não permite sem a obtenção das seis certidões negativas de débito (CNDs).

Incentivo fiscal
Após a conquista de todas as CNDs, o Flamengo tem o direito aos incentivos fiscais instituídos pelo governo, como, por exemplo, a contribuição financeira à prática dos esportes olímpicos.

Credibilidade no mercado
O Flamengo volta a ter credibilidade no mercado após a obtenção das CNDs. Negociações nas mais diversas áreas passam a ter menores dificuldades para concretização por parte do clube.



Fonte Link


Siga-nos pelo twitter e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário