Translate

terça-feira, 17 de julho de 2012

Com Riquelme longe, Zinho diz: 'Muito difícil contratar até sexta-feira'



Zinho tem encontrado duas dificuldades nos últimos dias. Ao dar dois passos na rua, o diretor de futebol é abordado por um torcedor e escuta a pergunta: "E aí, quem vai chegar?". A resposta não é muito animadora. Diante das limitações financeiras, o dirigente admite que será muito difícil a concretização para a chegada de um novo camisa 10 até o fechamento da janela de transferências internacionais, que se encerra na próxima sexta-feira. Diante das informações que recebeu sobre questões contratuais entre Riquelme e Boca Juniors, ele esfria a negociação.







- Não podemos criar uma ilusão para o torcedor. Saio na rua, dou dois passos, um torcedor me para e pergunta: "e aí, quem vai chegar?". Da minha boca saíram dois nomes, Diego e Juan, negociações que não se concretizaram. Acho muito difícil contratar um jogador até sexta-feira, não está fácil. Estamos trabalhando de forma consciente, dentro das nossas limitações financeiras - afirmou Zinho, por telefone, nesta terça-feira.
O diretor explicou a situação de Riquelme, reiterou que não procurou o jogador e também não recebeu oferta de nenhum procurador do meia argentino. Zinho disse ainda que tem a informação de que o camisa 10 ainda não rompeu seu vínculo com o clube, que vai até junho de 2014.
- Nunca procurei o Riquelme. Quando ele anunciou que deixaria o Boca depois do jogo com o Corinthians, e nós procurávamos um camisa 10, começou aquela pressão. Pelo que eu sei, ele ainda não rescindiu seu contrato com o Boca, apenas comunicou que não jogaria mais no time. O jogador, então, não é livre, tem contrato em vigor, teríamos que pagar uma multa. Hoje é terça-feira e ele não está livre. O talento dele é indiscutível. Se ele estaria em bom condições de jogar? Não sei - disse o dirigente rubro-negro.
Para evitar criar ansiedade na torcida, Zinho não revela mais nomes de possíveis reforços do Flamengo.
- Da minha boca não sai mais nada, até em respeito ao torcedor. O telefone toca muito, mas as negociações nem sempre são fáceis. Estamos trabalhando - completou o diretor.
Com o fechamento da janela de transferências internacionais, o foco pode se voltar para o mercado interno, mas com o contratempo de que na Série A o clube só poderia contratar jogadores que tenham feito até seis jogos.
Ao tentar evitar expectativas na torcida, Zinho, a partir de agora, corre o risco de dar dois passos e ouvir a pergunta: "E aí, quer dizer que não vai chegar ninguém, é?".
Fonte: Globoesporte.com
Postar um comentário