Translate

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Joel, o equilibrista: técnico resiste à fritura e sai do foco da pressão


Noticiário sobre a busca por um camisa 10 tira o treinador da berlinda. Zinho enxerga melhora no time e comemora momento tranquilo para Joel







Joel Santana se equilibrou na corda bamba, sentiu arder o fogo da fritura que sofreu internamente no Flamengo e viu seu nome ser substituído no noticiário pela busca de um camisa 10. Nesta quarta-feira, contra o Corinthians, no Engenhão, o Campeonato Brasileiro chegará a sua décima rodada, e lá está o treinador, que resistiu às eliminações da Libertadores, Campeonato Carioca e atuações instáveis no início da atual competição. Na sua quinta passagem pelo Rubro-Negro, Joel completará diante do Timão seu jogo de número 198.

Zinho comemora a fase de alívio para Joel e o aponta um fato curioso para o momento de calmaria do treinador.

- Futebol é momento. Os resultados estavam sendo positivos, mas o time não estava jogando bem. Muitas notícias saíam, mas eu olhei no olho dele e disse que se acontecesse a demissão eu anunciaria. Agora, com todas essas notícias de contratação, muito disse me disse, camisa 10, tirou o foco de cima do Joel. É normal que as cobranças sempre recaiam sobre o treinador. Mas agora estou feliz, Joel está mais tranqüilo para trabalhar com calma e felicidade – afirmou o diretor de futebol.

A pressão já existente nas primeiras rodadas do Brasileirão virou real ameaça antes do jogo com o Coritiba, no Engenhão, depois de o time ter empatado em 2 a 2 com a Ponte Preta.


Nomes de possíveis substitutos eram discutidos nos bastidores, mas Zinho, mesmo sem estar plenamente satisfeito com o trabalho, deu respaldo a Joel. Em entrevista coletiva, o técnico desabafou:

- Era para eu ter um busto lá (na Gávea). Tenho currículo, tenho nome... Eu não posso ser analisado por uma ou duas partidas, tenho que ser analisado por tudo que já fiz aqui. Eu sou notícia. Quem é que vende notícia? Se eu contar minha história não vai caber no seu noticiário. Eu sou estrela. Estrela é assim. Eu tenho que saber conviver com isso. São méritos adquiridos pela estrada que eu percorri.

O Flamengo é o nono no Brasileirão, com 15 pontos. Ao mesmo tempo em que enxerga o líder Atlético-MG a sete pontos de distância, a matemática a favor do time e de Joel é o fato de o Botafogo, quarto colocado e na zona de classificação para a Libertadores, somar 16.

Zinho já enxerga melhorias na equipe.



- O time está se ajeitando, as peças estão chegando. Contra o Corinthians, teremos a volta do Léo Moura, Love. Contra o Bahia, Joel já contou com Ramon. O time todo está ficando à disposição. Isso pode fazer com que o trabalho melhore ainda mais - concluiu o diretor.

Este ano, Joel comandou o time em 29 partidas, sendo 17 vitórias, cinco empates e sete derrotas, aproveitamento de 64,36%.

Vanderlei Luxemburgo, que ficou à frente da equipe em 84 partidas, somou 38 vitórias, 32 empates e 14 derrotas, com aproveitamento de 57,93%.

Esta é a quinta passagem de Joel pelo Flamengo. O técnico foi campeão carioca em 96, teve passagem discreta durante o Campeonato Brasileiro de 98, salvou a equipe rubro-negra do rebaixamento na reta final do Brasileiro 2005 (em nove jogos somou seis vitórias e três empates) e classificou a equipe para a Libertadores em 2007. Mas, no ano seguinte, fracassou na competição e deixou o clube após a eliminação nas oitavas de final da Libertadores 2008, na derrota por 3 a 0 para o América do México, no Maracanã, para assumir a seleção da África do Sul.

No total, Joel comandou o Flamengo em 197 jogos (114 vitórias, 45 empates e 38 derrotas).

fonte globo.com
Postar um comentário