Translate

domingo, 30 de dezembro de 2012

'O Flamengo tem que dar o exemplo', avisa presidente Eduardo Bandeira "Vamos trazer uma equipe que nunca clube nenhum no Brasil teve"


Dirigente explica fim de negócios por Robinho e diz que objetivo da gestão é ganhar títulos e deixar time organizado. "Vamos trazer uma equipe que nunca clube nenhum no Brasil teve"

O Dia


Ernesto Carriço/Agência O Dia
Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo

Um presidente que abdica da soberania do cargo. Eduardo Bandeira de Mello, empossado no Flamengo quinta-feira, não quer ser visto como o salvador após uma gestão que deu o que falar muito mais pelas crises do que pelo desempenho do time. Pelo contrário, ele quer descentralizar o poder na Gávea. Embora não tenha sede de poder, é ambicioso e tem como objetivo organizar a casa para o Flamengo sempre disputar títulos e ser um “campeão permanente”.


Candidato de última hora da Chapa Azul depois da impugnação de Wallim Vasconcellos, Bandeira não liga para os que o consideram um fantoche. Garante que sempre esteve pronto para o bônus e o ônus da função de comandar a “coisa mais importante da sua vida, depois da família”, que é toda rubro-negra. “Não tem nenhuma defecção na família”, afirmou o mais velho de cinco irmãos.

Em entrevista ao jornal O Dia , o presidente fala sobre as dificuldades para reforçar o time e a política de austeridade na busca por reforços. O primeiro deles foi a renovação do contrato de Renato por um ano, concretizada nesse sábado

.
Ernesto Carriço/Agência O Dia
Eduardo Bandeira de Mello tomou posse como presidente do Flamengo nesta semana

Diferencial da nova gestão
Principalmente a qualidade na gestão, a responsabilidade. Vamos trazer uma equipe que nunca clube nenhum no Brasil e acredito que poucos no mundo tiveram a oportunidade de ter. A ideia é tratar o Flamengo com a complexidade que ele merece. Reconhecer a complexidade que os negócios do futebol e do clube exigem. O Flamengo, como principal clube do Brasil, dono da maior torcida, tem que dar o exemplo e estar na vanguarda deste processo.

Importância do cargo
Cargo de liderança igual ao de presidente do Flamengo acho que não existe. Realmente, igual a esse, nunca exerci. Com certeza, o maior desafio da minha vida. O Flamengo é a coisa mais importante da minha vida, depois da família.

Busca por reforços
Estamos tranquilos. Este é um processo natural. As negociações são complicadas. A diferença é que a gente só quer anunciar alguma coisa quando estiver efetivamente concretizada. Existem, claro, dificuldades, a situação financeira não é confortável, mas a gente vai procurar, apesar de tudo, dar uma reforçada neste time. Como presidente, não devo ficar falando das carências do time de futebol. Todo mundo sabe que elas existem. O Pelaipe, o Wallim e o Dorival estão cuidando disso. Acredito que a gente vai conseguir bons reforços para tornar o time mais competitivo e conseguir bons resultados já nas primeiras competições do ano.

Falta de experiência
As dificuldades são as mesmas que você encontra em qualquer setor. Não existe nenhuma dificuldade insuperável. O fato de nós nunca termos trabalhado no futebol não quer dizer nada. Contratamos o Paulo Pelaipe, que é uma pessoa que tem 30 anos de futebol, e ele que está nos ajudando nesse processo de identificação de potenciais reforços para o time.
Getty Images
Robinho chegou a fazer parte dos planos do Fla, mas ficou fora do orçamento do time

Austeridade
A marca da nossa administração vai ser a da responsabilidade, da austeridade. Só vamos realizar investimentos que possam ter retorno tanto esportivo quanto financeiro. No caso do Robinho, nem chegamos a estar próximos da concretização da contratação dele. Como veio o representante do Milan ao Brasil, nós procuramos avaliar se era uma possibilidade que estava dentro do que estávamos imaginando. Não julgamos viável para o Flamengo neste momento e preferimos abrir mão do negócio.

Imagem de coadjuvante
Não me importo muito, não. Somos uma equipe e eu já estava nela antes de me tornar candidato. O Wallim era o candidato que eu estava apoiando e dois meses antes de eu me tornar o candidato da Chapa Azul já estava preparado para ser o plano B, caso houvesse algum problema com a candidatura dele. Aconteceu o problema no dia 8 de novembro e, no dia 9, já estava eu lá, com as certidões prontas. Processo de planejamento normal de quem lida com negócios e está acostumado a planejar

Objetivo para o triênio
O principal objetivo é ganhar as competições e deixar o Flamengo muito mais organizado. Queremos terminar o triênio já sendo reconhecido como um clube que cumpre os seus compromissos, tem responsabilidade com a torcida, com a nação como um todo. Um clube que paga seus impostos e seus salários em dia. A partir daí, vamos conseguir resgatar a credibilidade do clube e conseguir ser um clube vitorioso em caráter permanente.

Relação com o Flamengo
Quando eu comecei a conhecer o futebol, minha família já era toda flamenguista. Meus dois avôs eram rubro-negros e minhas avós também. Minha mãe tem quatro irmãos e todos são flamenguistas. Então, foi uma tendência natural. Eu, meus irmãos e meusprimos. Depois, todos nos casamos com rubro-negras, não tem nenhuma defecção na família.




Fonte link


siga-nos pelo twitter e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário