Translate

sábado, 19 de janeiro de 2013

Sem cara de clássico, Fla derrota Palmeiras e vence a 13ª consecutiva




Com a vitória por 106 a 61, time carioca amplia marca histórica e segue
como o único time com 100% de aproveitamento no NBB 2012/2013


Por Marcello PiresRio de Janeiro





Nem parecia um jogo entre clubes com duas das maiores torcidas do país. Com poucos torcedores vestindo verde e branco ou vermelho e preto, Flamengo ePalmeiras protagonizaram o primeiro clássico entre “times de futebol” da história do NBB, neste sábado, em Mogi das Cruzes, em situações completamente opostas na tabela. E como já era previsível, deu a lógica. Único invicto e recordista de vitórias em um início de temporada da competição, o time carioca não encontrou maiores dificuldades para vencer o penúltimo colocado por 106 a 61 (52 a 48), ampliar seu recorde para 13 triunfos consecutivos e se manter na liderança isolada com 26 pontos. Com a derrota, sua 13ª em 15 partidas, a equipe paulista está cada vez mais perto de disputar o quadrangular que rebaixará duas equipes na edição 2013/2014 do NBB.


Duda tenta parar ataque do Palmeiras (Foto: João Pires / LNB)

Maior pontuador da equipe na temporada, Marquinhos desta vez não repetiu suas atuações. Mesmo em uma tarde pouco inspirada, o ala anotou 20 pontos. Com 28 pontos e seis assistências, Benite foi o cestinha do clássico. Pelo lado do Palmeiras, o maior pontuador foi Caleb Brown, com 15 pontos.


Como já se tornou hábito, o Flamengo terá pouco tempo de descanso. Com partidas atrasadas a cumprir em razão de sua participação na Liga-Sul-Americana, o time carioca volta à quadra já na próxima segunda-feira, contra o Minas, às 20h, em Belo Horizonte, em partida válida pela segunda rodada. Já o Palmeiras terá três dias a mais para se preparar para encarar o Joinville, quinta-feira, em Santa Catarina, às 20h, pela 17ª rodada.


O JOGO

O adversário pode mudar, mas a estratégia do Flamengo de começar o primeiro quarto a 100km/h já virou rotina. Neste sábado não foi diferente. Para abrir os trabalhos, uma sequência de 10 a 0 que obrigou o espanhol Arturo Alvarez a pedir tempo. A ação do técnico palmeirense pouco mudou o panorama da partida. Principalmente em razão da pontaria certeira de Benite, implacável nas bolas de três. Com quatro arremessos certos em quatro tentados, o armador anotou 14 pontos e foi o responsável direto pela vitória parcial de 29 a 14 a favor do time rubro-negro.

Benite diminuiu seu percentual de acertos no começo do segundo quarto, mas o Flamengo, não. Pelo menos até a metade do período, quando a diferença se manteve em 15 pontos. José Neto, então, aproveitou para rodar o time. Colocou Gegê, Duda e Feliz em quadra. Sem o mesmo ritmo dos demais companheiros, a equipe caiu de produção, e o Palmeiras diminuiu o prejuízo para nove pontos (36 a 27). Mas foi só um susto. Rapidamente, o trio esquentou e a vantagem voltou a ser confortável até o estouro do cronômetro (52 a 38).

Partida teve poucos torcedores com camisas dos times (Foto: João Pires / LNB)

Se antes de a bola subir, a torcida do Flamengo presente ao Ginásio Professor Hugo Ramos já era maioria, depois do intervalo, então, as camisas do Palmeiras praticamente desapareceram. Os poucos que permaneceram, que sequer vestiam a camisa do clube ou de qualquer torcida organizada, passaram a provocar os rubro-negros e por alguns instantes ameaçaram a paz que reinava absoluta. Os seguranças, porém, agiram rápido, convenceram os baderneiros de ambos os lados a deixarem o local e o bate-boca, que nem chegou a virar uma confusão, quase não foi notado.

Enquanto isso, em quadra, o Flamengo seguia soberano. Com os titulares ou os reservas, a diferença só crescia e, de 14 pontos ao fim do primeiro tempo, pulou para 30 a dez minutos para o fim do primeiro clássico entre clubes de camisa do NBB.
saiba mais

Com a vitória praticamente assegurada, o técnico José Neto aproveitou para dar um descanso ao ala Marquinhos. Mesmo com seu principal pontuador na competição sentado no banco de reservas durante todo o último quarto, o time carioca fez 28 a 13 nos dez minutos finais, venceu por 106 a 61 e deu mostras que pretende bater seu próprio recorde de 17 vitórias consecutivas na temporada regular, conquistada na primeira edição do NBB, em 2008/2009.






Fonte link


 siga-nos pelo twitter e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário