Translate

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Desconhecido em 2002, Liedson marcou o gol mil do Fla em Brasileiros


Atacante anota 15 gols em 29 partidas na sua primeira passagem pelo clube carioca e ajuda o Rubro-Negro a escapar da degola no campeonato



Apresentado no Flamengo na última terça-feira, Liedson é a esperança para resolver os problemas do ataque rubro-negro. Há dez anos, porém, a história era outra. Caixa de supermercado, o atacante começou a carreira de forma tardia, aos 23 anos, no Coritiba. Um ano depois, foi contratado pelo time rubro-negro. Desconhecido dos torcedores, ele era a aposta da diretoria.

Aposta que deu certo. No Rio de Janeiro, Liédson confirmou a fama de goleador, ao marcar 15 gols em 29 jogos. O primeiro veio na quarta partida disputada, contra o Vitória, pela Copa dos Campeões.

- São três partidas, essa é a quarta que eu estou disputando e não estava marcando gol. Então, sem dúvida, estava mais do que na hora de meter o meu golzinho – disse, em entrevista após o jogo realizado no Castelão, no dia 17 de julho de 2002.

Dois meses depois, o jogador anotou o gol que ficou marcado em sua carreira e na história do clube: o milésimo do Flamengo em Brasileiros. No Maracanã, o atacante fez duas vezes e, junto com Iranildo, comandou o Fla na vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-PR.
No Flamengo, Liedson balançou as redes 15 vezes
em 2002 (Foto: Reprodução)

No Brasileirão daquele ano, o time da Gávea fez uma campanha fraca e correu risco de ser rebaixado para a Série B. Liedson, porém, se destacou com a camisa rubro-negra e foi decisivo para deixar a equipe fora de degola.

No início de 2003, o atacante foi contratado pelo Corinthians, clube no qual ficou apenas seis meses. O destino depois foi outro: o Sporting Lisboa. Durante os oito anos que ficou em Portugal, ele virou ídolo, cidadão português e atacante da seleção na Copa de 2010, na África do Sul. Em 2011, voltou ao Corinthians e foi o artilheiro do Timão na conquista do Brasileirão, com 12 gols.

Hoje, de volta ao Rio de Janeiro, ele garante que chegou a hora de retribuir ao Flamengo.

-Então, eu devo muito ao Flamengo essa minha carreira, minha trajetória vitoriosa. Então, é por isso que eu volto, por isso que eu tenho esse carinho, essa identificação muito grande pelo clube, porque ele me ajudou bastante quando eu precisei. Para jogar no Flamengo não pode ser qualquer um. Tem que saber jogar, tem que se doar pelo Flamengo, tem que fazer tudo pelo Flamengo. O cara que não está de corpo e alma no clube é melhor nem vir.

fonte globoesporte
Postar um comentário