Translate

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Novo time de empresários quer levar Flamengo a goleada

Vitorioso nas eleições o Flamengo, presidente Eduardo Bandeira de Mello quer promover choque de gestão no clube rubro-negro; do seu lado, conta com um time de executivos de peso

Marcela Ayres, de

Alexandre Loureiro/VIPCOMM

Nova gestão quer que time fique mais parecido com uma empresa para retomar glórias do passado




São Paulo - Nesta segunda, os sócios do Flamengo escolheram seu novo presidente para os próximos três anos. Sai Patricia Vieira e entra Eduardo Bandeira de Mello, que chefiou por 25 anos a área de meio ambiente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Sua eleição não marca apenas a entrada de um novato nos quadros do Flamengo. Ela promete chacoalhar a gestão do rubro-negro, com a colocação de executivos de peso nos principais cargos administrativos do clube carioca.

Há pouco mais de um mês, Bandeira de Mello era um desconhecido para os associados. Acabou assumindo a campanha no meio do caminho, no vácuo deixado por Wallim Vasconcellos. Também egresso do BNDES, o empresário teve a candidatura impugnada pelo fato de ser sócio do Flamengo há menos de cinco anos. Bandeira de Mello tem 34 anos de clube.

Se as cabeças mudaram, o discurso da chapa permaneceu o mesmo: gestão moderna, com a criação de um conselho de administração composto por empresários. A ideia é replicar o que acontece dentro de uma empresa, colocando executivos bem remunerados em cargos-chaves - e cobrando pela atuação de cada um no cumprimento das metas.

Para desatar o nó nas finanças do Flamengo, por exemplo, o escalado será Carlos Langoni, diretor da Fundação Getúlio Vargas e ex-presidente do Banco Central. Sua missão não será das mais fáceis.

Segundo levantamento da consultoria BDO Brazil, o time fechou 2011 com uma dívida de 355,4 milhões de reais, engordada por pendências fiscais e trabalhistas. Apesar de ser apontado como a equipe de futebol com maior torcida no país - com 40 milhões de rubro-negros -, o Flamengo ficou apenas no quinto lugar entre os times com maior receita, com 185 milhões de reais embolsados no ano passado.

"Indiscutivelmente ele tem a maior marca do Brasil. É preciso maximizar seu potencial de ganho", afirma Amir Somoggi, consultor em marketing e gestão esportiva. Em 2011, metade do dinheiro arrecadado pelo Flamengo veio da negociação de cotas de TV. A divisão de patrocínio e publicidade respondeu por 24% desse bolo. Mas o clube está sem patrocínio master há mais de um ano e meio.

“Com 10% da torcida do Flamengo, o Internacional fatura mais com royalties e faz um trabalho de gestão de marca muito mais eficiente”, disse Somoggi. Para equalizar a situação, a nova gestão de marketing ficará sob gestão de Luiz Eduardo Baptista, que também é presidente da Sky.



fonte link



siga-nos pelo twitter https://twitter.com/urubucarniceiro e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário