Translate

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Depois de encarar Neymar, Frauches pega R49: ‘É decisão contra ele’

Zagueiro, de 19 anos, fará a quinta partida seguida pelo Flamengo no jogo contra o Galo, que é liderado pelo meia: 'Preocupa por ser o Ronaldo'



Por Richard SouzaRio de Janeiro



Frauches se calou. Após a derrota por 3 a 0 para o Coritiba, no início de setembro, evitou os microfones dos repórteres na saída do gramado do Couto Pereira. Apressado, deixou escapar algumas palavras. Não precisava de mais nada para expressar o que estava sentindo.

- Vai sobrar para mim, vou falar nada, não.

O zagueiro, que completa 20 anos na sexta-feira, havia falhado no primeiro gol do Coxa (assista ao vídeo). O lance deu início a uma derrota preocupante do Rubro-Negro. Quase 20 dias depois e com mais três partidas na equipe de Dorival Júnior, ele garante que teria uma postura diferente hoje.

Frauches substituiu Welinton no jogo contra o Santos e teve trabalho (Foto: Ricardo Saibun / Ag. Estado)

- Estou mais tranquilo, mais confiante dentro e fora de campo. As pessoas me deram mais liberdade, os companheiros têm conversado comigo. Tenho a sensação de que estou mais maduro. Aquele momento depois do jogo contra o Coritiba foi de muita tristeza, ninguém queria falar nada, estava um clima chato. Chegamos no vestiário, conversamos e sabíamos que a nossa postura tinha que mudar. Tinha de ser postura de Flamengo. Era preciso mudar nossas atitudes – disse.



No Brasileirão, teve muito trabalho com Neymar na derrota por 2 a 0 para Santos. Também enfrentou Grêmio e Atlético-GO e será titular contra o Atlético-MG, nesta quarta-feira, às 22h, em jogo adiado da 14ª rodada do Brasileirão. Vai reencontrar Ronaldinho Gaúcho no Engenhão, com quem conviveu e treinou por algum tempo. Ele reconhece que ter o ex-companheiro do outro lado incomoda.

- Preocupa por ser o Ronaldo. Mas não só por isso. Por causa do time do Atlético-MG como um todo. O time deles não é só o Gaúcho. Temos de diminuir a marcação. O Jô também merece atenção, temos de ficar ligados nos dois. Mas também vai ser um sonho realizado. Depois de jogar com o Ronaldinho, vou poder jogar contra. É decisão contra ele e contra o Atlético.

A chuteira usada por Frauches no Mundial e a
medalha da conquista (Foto: Divulgação )

Frauches foi capitão e fez gol na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2011. Da geração da qual fazem parte Negueba, Thomás, Muralha, Cesar, Marllon e Adryan, foi o último a ganhar uma chance entre os profissionais. Ela surgiu em setembro do ano passado, ainda com Vanderlei Luxemburgo. O defensor também fez parte da seleção brasileira sub-20 que conquistou o Mundial do ano passado.

Com Dorival, ganhou a chance de substituir Marcos González, que estava com a seleção chilena, e agora ocupa a vaga de Welinton, machucado. Enquanto o titular se recupera e tenta voltar para o Fla-Flu de domingo, Frauches está com uma ideia fixa na cabeça. O banco é o lugar que ele quer estar.

- Dos garotos eu fui praticamente o último a ter oportunidade. Mas foi na hora certa. Treinei bastante, aprendi muito. Acho que consegui diminuir os erros e a cada dia que passa tenho que diminuir mais. Sinto que estou preparado, batalhei por essa oportunidade. Estou ali, quero continuar e dar o meu melhor. Não quero sair dali, não, está muito bom.

Após passar sete jogos sem vencer (quatro derrotas e três empates), o Flamengo derrotou o Atlético-GO por 2 a 1 e ganhou fôlego para tomar distância da zona de rebaixamento. Para o jovem zagueiro, a confiança também aumentou.

- Continuamos com os pés no chão, mas depois de uma vitória o grupo está mais confiante. Sabemos que todos os jogos serão decisivos. Temos que embalar. A gente não vinha jogando mal, mas estávamos dando mole nos detalhes.

Frauches celebra o gol marcado por ele na final da Copinha de 2011 (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)




fonte link




siga-nos pelo twitter https://twitter.com/urubucarniceiro e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário