Translate

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Muro dos tijolinhos 'une' Patricia e Zico, e Ronaldinho dá lugar a Ryan


Desafetos, presidente e ídolo rubro-negro estão lado a lado por toda a eternidade. Espaço que era do camisa 10 fica para torcedor comum


Por Richard SouzaRio de Janeiro

Por trás de cada tijolo, a história de um torcedor do Flamengo. Inaugurado nessa segunda-feira, o muro dos tijolinhos do Ninho do Urubu tem 7.567 peças. O projeto “Rubro-Negro Para Sempre” começou no fim de 2010 com a finalidade de arrecadar verba para ajudar na realização das obras do CT. Aqueles que participaram da campanha e investiram R$ 250 na compra de um espaço tiveram o nome gravado no local e eternizado. Também foram registrados recados de pai para filho, sobrenomes de famílias, casais, perfil de Twitter e até propaganda, como da Fla Boutique, loja de artigos do clube localizada na Gávea que adquiriu 500 unidades.


Patricia Amorim beija o tijulinho com seu nome durante a inauguração do muro
(Foto: André Durão/Globoesporte.com)

O muro dos tijolinhos ajuda a contar momentos marcantes e polêmicos da história recente do clube. Entre eles a crise entre Patricia Amorim e Zico. Eles estão lado a lado por toda a eternidade. Pelo menos nos tijolinhos comprados pela presidente e pelo ídolo rubro-negro. Curiosamente, os dois ficaram juntos, já que a numeração começa de cima para baixo. O da dirigente é o de número 1, e do Galinho é o 10. Mas, longe do muro do CT, Patricia e Zico viram a relação ruir em 2010, depois que ele pediu demissão do cargo de diretor de futebol. A relação azedou de vez. Zico nunca escondeu seu descontentamento com a atual diretoria, Patricia se manteve afastada do eterno camisa 10, mas sabe que comprar uma briga ainda maior pode lhe trazer consequências políticas.


O maior jogador da história do clube tem lugar
reservado (Foto: André Durão/Globoesporte.com)

E é por conta de uma briga judicial que o nome de Ronaldinho Gaúcho não aparece por lá. Caso contrário, seria o muro da discórdia. Não há espaço para um tijolo sequer personalizado para o atacante, que foi o garoto-propaganda da campanha. No início de junho, pouco depois da saída do jogador, o clube prometeu devolver R$ 1.500 por conta de seis tijolinhos comprados pelo ex-camisa 10 no ano passado para ajudar na construção do CT. O Rubro-Negro tem uma dívida assumida com o astro de cerca de R$ 5 milhões, mas os advogados de Ronaldinho cobram na Justiça o valor de R$ 40.177.714,00.

O espaço que seria do craque tem dono. Em julho de 2011, Ronaldinho posou para a campanha com um tijolinho que levava seu nome e o número 7000. Hoje, o lugar no muro é de Ryan Arruda. Segundo o vice de patrimônio Alexandre Wrobel, a quantia paga por Ronaldinho pelos tijolos foi devolvida.

Assim como Zico, outro que também guarda mágoa de Patricia Amorim está na história do CT para sempre. O técnico Joel Santana, que se disse chateado com a forma como foi demitido pelo clube, há quase dois meses, tem um tijolinho com o seu nome. Joel já comandou o Rubro-Negro cinco vezes. Da última, no entanto, saiu pela porta dos fundos.


Léo Moura, que completou recentemente 400 partidas pelo Fla, Bottinelli e Vagner Love (ambos à direita) foram alguns dos jogadores que compraram tijolos (Foto: Divulgação)

Jogadores do atual elenco também participaram. O lateral-direito e capitão Léo Moura, que recentemente completou 400 partidas pelo clube, comprou tijolos para ele e paras as filhas Maria Eduarda e Isabella. O atacante Vagner Love e os meias Renato e Bottinelli estão perto da presidente. Ex-jogadores rubro-negros também estão marcados, entre eles o zagueiro David Braz, hoje no Santos, e o volante Felipe Melo, do Galatasaray, da Turquia.

Com descontos de custos operacionais, o Flamengo arrecadou R$ 1.440.060, 31.




fonte link

siga-nos pelo twitter https://twitter.com/urubucarniceiro e fique por dentro das noticias do mais querido do mundo
Postar um comentário