Translate

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Após tormenta, Joel curte calmaria no Fla: 'Aqui não tem aventureiro'


Enquanto clube busca um camisa 10, técnico sai do olho do furacão e continua no cargo: 'Você não convence 40 milhões da noite para o dia'
O semblante de Joel Santana é outro de uns dias para cá. Aos poucos, a expressão carrancuda começa a perder espaço para o sorriso. As respostas duras foram substituídas pelas tradicionais piadas na entrevista coletiva desta sexta-feira. O técnico do Flamengo está mais leve. A pressão sobre ele, pelo menos por enquanto, diminuiu. Nas duas últimas semanas, a diretoria concentrou a atenção na tentativa de contratar um camisa 10, até agora sem sucesso. No lugar do risco iminente de demissão, calmaria. Ele não sabe por quanto tempo, mas quer aproveitá-lo para trabalhar.



Joel ganhou sobrevida depois da vitória por 3 a 2 sobre o Atlético-GO e não sofreu abalos com a derrota por 1 a 0 para o Fluminense, domingo passado. Neste domingo, porém, tudo pode mudar. O Flamengo enfrenta o Bahia, em Salvador, pela nona rodada do Brasileirão. O treinador se mostra tranquilo e usa o exemplo de Tite. Depois de uma eliminação traumática na Libertadores de 2011, o técnico foi mantido no Corinthians, venceu o Brasileirão passado e conquistou a Libertadores deste ano.

- A melhora está acontecendo, a renovação do time é uma coisa muito clara, venho falando isso, estamos procurando uma renovação desde a Libertadores e a eliminação no Carioca. Não se faz isso da noite para o dia. Estamos procurando enxugar o grupo. Nem a Seleção convoca 38 jogadores. Decisões estão sendo tomadas para o futuro do clube. Não adianta termos imediatismo aqui. Um dos clubes que temos que pegar como exemplo é o atual campeão brasileiro e da Libertadores (Corinthians). Mantiveram o profissional, apostaram, e ele conseguiu ser campeão. Aqui não tem aventureiro, mágico, aqui tem uma pessoa, uma história, um currículo. Não caiu de paraquedas aqui. Tem conceito, já foi colocado em grandes clubes dentro do status. Se as coisas acontecerem, você sente que existe uma melhora. Estamos botando os meninos devagar, eles vão melhorando a cada dia que passa. Futuramente vão dar alegria - disse Joel.
O comandante reconhece que o time ainda está longe do ideal, mas está animado. Os garotos são a maior aposta do treinador. Luiz Antonio, Marllon, Adryan e Mattheus ganham cada vez mais espaço.

- Precisamos de um grupo que dê sequência com juventude. Mas é o Flamengo, uma nação. Você não convence 40 milhões da noite para o dia. Sou treinador da equipe, algumas coisas são nítidas, o time está começando a amadurecer, até os jogadores que estão em outras posições. O Luiz Antonio (volante) está treinando com uma personalidade na lateral direita. Está querendo aprender. Podemos demorar mais uma, duas ou três rodadas, não sei quanto tempo vai ser, não tenho bola de cristal, mas com certeza vai melhorar. Existe uma cobrança dentro do grupo de que temos que encontrar a melhor formação, a estrutura. O grupo tem postura de vencedor.

Neste domingo, o Flamengo enfrenta o Bahia, no estádio de Pituaçu. A partida será às 16h (de Brasília). O Rubro-Negro é o nono no Brasileirão, com 12 pontos. O time está escalado com Paulo Victor, Luiz Antonio, Arthur Sanches, Marllon e Ramon; Airton, Ibson, Renato e Adryan; Deivid e Hernane.

O último treino antes do confronto será neste sábado, às 10h, no estádio Barradão


fonte :globo.com
Postar um comentário